Portal da Cidade Douradina

Saúde

Está com condromalácia? Saiba agora como tratar

A condromalácia patelar é uma doença degenerativa que atinge a cartilagem da patela, o osso móvel localizado na frente do joelho.

Postado em 28/01/2019 às 15:42 |

(Foto: Ilustrativa)

A CONDROMALÁCIA PATELAR, também conhecida como CONDROPATIA PATELAR, é uma doença degenerativa que atinge a CARTILAGEM DA PATELA, o osso móvel localizado na frente do JOELHO.

A CARTILAGEM é o tecido branco e brilhante que reveste os ossos na parte interna das articulações e cria uma superfície lisa e regular para que eles se articulem entre si de forma muito suave e quase sem atrito.

Dizemos que o JOELHO tem CONDROMALÁCIA quando já existe comprometimento da estrutura da CARTILAGEM. Antes do dano estrutural, nas fases iniciais da doença, quando existe apenas dor e os exames mostram a cartilagem ainda íntegra, dizemos que o paciente sofre de SÍNDROME PATELO-FEMORAL ou SÍNDROME PATELAR DOLOROSA.

TRATAMENTO DA CONDROMALÁCIA

O médico especialista analisará o aspecto da lesão da cartilagem, o grau, a localização e a extensão, para depois indicar o melhor tratamento.

QUER MELHORAR?

 Fortaleça os músculos do QUADRIL e do QUADRÍCEPS (que é rédea da sua patela!)

 Sabemos hoje que o treino de força é padrão ouro da reabilitação da CP, melhorando quadros de dor e disfunção(Lack, 2015).

QUAIS EXERCÍCIOS REALIZAR?

 Preferencialmente de cadeia cinética fechada, como Leg Press, Agachamento, etc.

 Além da melhor sincronização inter vastos, os músculos dos quadris (super importantes nesse caso) também são solicitados.

 Sugiro inicialmente a execução com baixa sobrecarga e unilateral para evitar compensação e evitação por causa da dor.

Por que eles são melhores que a cadeira extensora por exemplo?

 O pico de compressão na extensora se dá quando o joelho está em extensão, com a patela incongruente (totalmente fora da tróclea).

 Ou seja, colocar uma alta força em uma estrutura que sequer achou seu caminho articular ainda pode ser um risco para aqueles que apresentam CP. (Steinkamp, 1993)

Aliado a isso

 Aumente a mobilidade de tornozelo e quadril

 Aumente a força dos abdutores e rotadores externos do quadril

 Forteleça o CORE

 Alongue quadríceps e os isquiotibiais

 Alongue os adutores de coxa, para evitar o tensionamento exagerado que pode piorar o valgo dinâmico

 Estímulos visuais (frente ao espelho) podem ajudar o paciente na percepção de movimento alterado e assim ter uma sensível melhora (numa aterrissagem de salto por exemplo)

 Evite o uso de salto alto

 Evite impacto na fase aguda

ATENÇÃO!!

 Isso não é uma receita de bolo 🍰

 Nem todos tem condromalácia pelo mesmo problema!

 O X da questão não é só fortalecer, mas sim IDENTIFICAR A CAUSA e corrigir os padrões alterados de movimento e só a partir daí então traçar a estratégia.

EXERCÍCIOS FÍSICOS devem ser realizados desde que seja prescrito por um profissional habilitado, que respeite o limite e individualidade de cada paciente/aluno.

NÃO EXISTE EXERCÍCIO CONTRAINDICADO, MAS PESSOA CONTRAINDICADA A REALIZÁ-LO!

Licenciatura em Educação Física pela UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa. Credenciada em Personal Trainer. Especialização em Personal Trainer pela FCV - Faculdade Cidade Verde – Maringá – PR.

Profª Andréia Luiz

Licenciatura em Educação Física pela UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa. Credenciada em Personal Trainer. Especialização em Personal Trainer pela FCV - Faculdade Cidade Verde – Maringá – PR.


Bibliografia:

BORGES, Alex Rodrigo. Joelho. Fisioterapia desportiva, 2013

GABRIEL, M. R. S.; PETIT, J.D.; CARRIL, M. L. S. Fisioterapia em Traumatologia, Ortopedia e Reumatologia. Rio de Janeiro (RJ): Revinter, 2005.

MONNERAT, Eduardo. et al. Abordagem fisioterapêutica em pacientes com condromalácia patelar. Fisioterapia Ser • vol. 5 - nº 1 • 2010.

RAMOS, Julyana. Condromalácia patelar. Trabalhos Feitos. Com, 2011.

Fonte:

Deixe seu comentário