Portal da Cidade Douradina

ASTRONOMIA

Cometa Neowise poderá ser visto no Brasil a partir desta quarta-feira (22)

Ele deve aparece a partir de hoje (22), ainda “tímido”, e ficar mais visível a partir de sexta-feira (24). Veja o melhor horário para apreciar.

Postado em 23/07/2020 às 09:50

(Foto: Bray Falls/Reprodução/Instagram)

O cometa C/2020 F3, popularmente conhecido como Neowise, foi descoberto no dia 27 de março deste ano por um telescópio espacial infravermelho da Nasa – que também leva o nome de Neowise.

O cometa, que deu um show no Hemisfério Norte há cerca de duas semanas, começou a ser visto no extremo norte do Brasil nesta segunda-feira, 20. Na região ele deve aparece a partir desta quarta-feira, 22, ainda “tímido”, e deve ficar mais visível a partir de sexta-feira, 24. 

Dicas para ver o cometa  

O portal GMC Online foi conversar com Maico Zorzan, professor de matemática e membro do Clube de Astronomia Edmond Halley (Caeh), de Marialva, ele explicou que o cometa Neowise será visível no entardecer, próximo ao pôr do sol. É o que indica o Stellarium, software que simula o céu de qualquer lugar do mundo, em qualquer data e horário. 

“No dia 22 ele já vai ser visível, porém, muito próximo do horizonte. A partir de sexta-feira, dia 24, ele estará em uma posição confortável para observação. Ele aparecerá sempre próximo ao pôr do Sol, por volta das 18h, no sentido noroeste. Ele fica até descer no horizonte, e vai ficando cada dia mais tempo no céu, e cada dia mais fraco de magnitude”, explica.  

Porém, de acordo com Zorzan, não é possível prever por quantos dias o Neowise ficará visível no céu de Maringá e região. “Ele vai ficando com menos brilho a cada dia, porém nesse processo pode acontecer alguma coisa e ele escurecer mais, ou clarear mais. Na verdade, cometas são ‘temperamentais’, é difícil prever o que eles vão fazer. Às vezes a gente se empolga com um cometa que quando descoberto tem tudo para dar show, e outras vezes, aquele que ninguém dá nada, dá espetáculo no céu”, acrescenta. 

O cometa Neowise poderá ser observado a olho nu ou com binóculos. No entanto, Maico Zorzan alerta para os cuidados com o uso de equipamentos: “Jamais devemos observar com qualquer equipamento ótico, seja binóculos ou telescópio na direção do Sol, pois pode causar graves acidentes, inclusive cegando o observador”, finaliza.  

Neowise  

A próxima “passagem” do Neowise pela Terra é calculada pelos astrônomos para daqui a 6.800 anos. Sua aproximação máxima da Terra será em 23 de julho: 103 milhões de quilômetros. 

É a ação solar que permite que os cometas sejam vistos. Como são compostos por um núcleo de gelo, o calor do Sol provoca a sublimação desse material, transformando-o de sólido em gasoso. O gás que sobe pela superfície do corpo dá a visão do brilho que rasga o céu em sua passagem. Quanto mais longe do Sol, menos partes são desprendidas e menos visível ele fica.

Fonte:

Deixe seu comentário