Portal da Cidade Douradina

Medida Cautelar

Sanepar suspende aumento de 12,13% na conta de água após decisão do TCE-PR

O reajuste na conta de água começaria a valer nesta sexta-feira (17), mas está suspenso por tempo indeterminado.

Postado em 14/05/2019 às 09:52 |

Reajuste de 12,13% na tarifa de água foi autorizado pela Agepar no dia 15 de abril. (Foto: Divulgação)

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) concedeu medida cautelar suspendendo o reajuste de 12,13% nas tarifas de água e esgoto da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). A suspensão foi comunicada pela própria empresa nesta segunda-feira (13).

No comunicado, a empresa afirma que "tomará todas as providências necessárias no sentido de restabelecer o seu direito ao alusivo reajuste.

Na semana passada, o conselheiro Artagão de Mattos Leão protocolou uma comunicação de irregularidade para a suspensão do reajuste. O documento foi encaminhado pela 2ª Inspetoria de Controle Externo do órgão, que argumentou que o reajuste destoava "da realidade social e econômica brasileira, configurando-se um verdadeiro achaque ao cidadão".

Entenda o reajuste

O reajuste, definido em abril, começaria a ser aplicado nesta semana e passaria a valer integralmente em junho. Definido em abril pela Agência Reguladora do Paraná (Agepar), o índice era composto pela inflação dos insumos da Sanepar, que somou 7,56%, e pela parcela corrigida do diferimento tarifário definido em 2017 (4,57%).

O valor gerou reações entre prefeitos paranaenses e na Assembleia Legislativa. Em Curitiba, os vereadores chegaram a aprovar uma sugestão para que o município barrasse o reajuste na conta de água.

Além do aumento deste ano, a Sanepar também havia pleiteado a antecipação das demais parcelas do diferimento. No total, o reajuste escalonado definido em 2017 soma 25,63%, dividido em oito parcelas. O argumento é de que, antecipando as cinco parcelas que faltam, a conta ficaria menos pesada para o consumidor - já que a correção monetária não incidiria sobre os percentuais já estabelecidos.

Diante do pedido, a Agepar determinou a realização de audiências públicas para que uma decisão seja tomada.

Fonte:

Deixe seu comentário